+55 (83) 3031-0055 De Segunda a Sexta das 9:00h às 19:30h

Especialistas apontam stress como fator de riscos à saúde bucal

Aftas, gengivite e bruxismo são algumas consequências da doença no organismo

Conciliar todos os afazeres está cada dia mais difícil. Trabalho, estudos, família, contas a pagar, relações interpessoas. A lista, quase interminável, contribui para o desenvolvimento do estresse, doença cada vez mais presente e que afeta grande parcela da população.
Diversos problemas de saúde podem ser associados ao estresse. Quando os estímulos estressores são frequentes, sejam positivos, como uma viagem ou uma promoção no trabalho, ou negativos, como doença, luto ou cobranças no trabalho, o nível do estresse têm reflexos negativos e prejudiciais ao organismo, e pode afetar as funções nervosas, endócrinas e imunológicas. “Além dessa ação psicossomática, o estresse ocasiona outros prejuízos, pois o individuo estressado, em geral, acaba deixando de lado alguns cuidados básicos e adotando hábitos prejudiciais para o organismo como um todo”, orienta a psicóloga Jôzy Lucena.

Além de comprometer a saúde, segundo a psicóloga, o que muita gente desconhece é que o estresse pode ainda afetar também a parte oral. “Estima-se que 25% a 30% das visitas feitas aos consultórios sejam motivadas por queixas inexplicáveis sob o ponto de vista clínico, e o diagnóstico mais comum para estas supostas doenças é a ausência de alterações de saúde. Nestes casos, o importante é procurar entender como o indivíduo consegue, ou não, processar suas experiências, e no que estas se transformam dentro dele”, explica Ana Claudia Vanderei, periodontista do Atelier do Sorriso São Rafael, clínica especializada em diversos serviços odontológicos.

Segundo ela, a tensão emocional pode acarretar em bruxismo – ranger dos dentes – que causa desgaste dos dentes, distúrbios na articulação temporomandibular e danos ao tecido gengival e ao osso mandibular. Surgimento de aftas, boca seca, gengivite também estão na lista de problemas que o estresse pode ocasionar na saúde bucal. “Vários estudos mostram que o estresse pode afetar a capacidade de a pessoa realizar uma boa higiene bucal”, completa a periodontista, que lembra que estresse, em associação com a má higiene bucal, aumenta as chances do desenvolvimento de doenças periodontais mais graves, como a periodontite, que compromete o tecido ósseo de suporte do dente e, com sua evolução, leva à mobilidade dentária, culminando na perda do dente. “É fundamental sempre manter hábitos corretos de higiene e procurar um especialista na área para avaliação e orientação”, sugere Ana Cláudia.

Álcool e cigarro – Muitas pessoas tentam aliviar o estresse consumindo bebida alcoólica e cigarro. No entanto, segundo a dentista, fumar e beber podem causar mau hálito, além de afetar a camada de cálcio que protege os dentes, resultando em erosão dental. Ana Cláudia explica que o álcool influencia ainda a descamação da mucosa, o que facilita o aparecimento de lesões, e é um fator relacionado ao câncer bucal. “O individuo que fuma 20 cigarros por dia tem risco dez vezes maior de desenvolver carcinoma bucal. O tabaco ainda afeta o sistema imune e diminui a salivação, reduzindo a proteção e a limpeza da cavidade bucal”, afirma Ana Claudia.

 

Assessoria

Compartilhar este artigo:

Deixe um Comentário