+55 (83) 3031-0055 De Segunda a Sexta das 9:00h às 19:30h

Como funciona a coleta de células-tronco na odontologia?

células-tronco na odontologia

As chamadas células-tronco são aquelas células que possuem capacidade de se renovar. Elas podem ser encontradas em vários tecidos do organismo humano. Os estudos voltados para as células-tronco possuem o intuito de compreender o crescimento delas, a renovação das mesmas e como elas atuam de forma benéfica no corpo do paciente.

Por causa da sua capacidade de renovação e demais particularidades, as células-tronco são de grande utilidade para em algumas áreas da medicina, inclusive na odontologia.

A coleta de células de tronco

O uso das células-tronco na odontologia já é uma realidade que pode trazer benefícios para vários pacientes. Hoje em dia, por exemplo, é possível efetuar a coleta de células-tronco oriundas da polpa de um dente decíduo, que é popularmente conhecido como o dente de leite.

De acordo com pesquisas, já é sabido que as células-tronco podem ser divididas entre embrionárias e adultas. No caso das adultas, elas podem ser extraídas de determinados tecidos do corpo humano, especialmente do sangue, do cordão-umbilical, da medula óssea e, um desses tecidos, é da polpa do dente de leite.

Uma das vantagens que as células-tronco extraídas do dente de leite oferecem é que elas são as que menos sofreram danos do ambiente externo.

A coleta da célula-tronco proveniente de um dente decíduo deve ser efetuada em condições específicas.

Nesse contexto, a extração do dente de leite deve ser feita apenas pelo cirurgião dentista e sempre com a autorização dos pais da criança, cientes de que o propósito da extração é a coleta das células-tronco.

Atualmente, é possível afirmar que as células-tronco são elementos importantes para terapias de doenças cardíacas, diabetes, Mal de Alzheimer e também outros males.

Por isso, as células-tronco na odontologia são um avanço significativo.

Compartilhar este artigo:

Deixe um Comentário